segunda-feira, 7 de julho de 2014

Deus é Poeta





No princípio Deus criou os céus e a terra. Era a terra sem forma e vazia; trevas cobriam a face do abismo, e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas.” Gênesis 1:1-2

Quem me conhece sabe, entendo como maior de todas as provas da existência de uma entidade superior o poder de criação. Criar é ser semelhante a Deus, pois Deus é criador, sua imaginação é absoluta, infinita e plena. Deus é o primeiro de todos os criadores e sua criação é poíesis perfeita. Deus é poeta.

Gosto muito do termo poíesis. É um termo grego, muito usado por Platão em suas discussões sobre arte, nele encontramos um mundo de significados, assim como qualquer outro conceito ou categoria humana, entretanto, poíesis pode ser definido de maneira grosseira como o produzir, a capacidade, potencialidade de criação, também como imitação. A poíesis é tanto divina, quanto humana e se relaciona com o que é bom.

Atrevo-me a usar o conceito como quero, abusar dele, abandonando as rígidas definições e determinações que compete ao contexto acadêmico. Quero reiterar o meu elogio a Deus, apenas. Quero usar uma palavra bonita. A criação divina é poíesis, poesia pura. Deus é o poeta, somos em certo sentido os imitadores.

Isto me leva a pensar a arte como potencialidade, potência de ser, explicarei. Deus compartilhou conosco seu atributo eterno de criação, a humanidade se cria, se reinventa, se expressa, se traduz no sentir e na estética, no absurdo e no imaginário; sendo assim, o criar é a potência do nosso ser, nossa experiência é a terra sem forma e vazia onde o nosso espírito se move pelas águas. Criar é o imperativo do sentir, a água do nosso abismo. Quando não nos movemos sobre as águas, quando não resolvemos criar, resta-nos a doença, a desordem e o fim...

O criar é uma ordem, somos semelhantes a Deus e como seres semelhantes, nossa natureza nos impulsiona a produção. Fazer o que é bom, o que toca aos sentidos, o que emociona é fruto de uma graça comum, de uma graça que antecede a criação, intocada e encarnada na inspiração que provém da experiência de ser humano.

Criar é libertar-se do vazio. Criar é o princípio da liberdade. Criar é produzir, religar-se, renovar-se, é agir. Ser artista não é algo destinado apenas para poucos, ser criador já é ser artista e isso pertence a cada um de nós.