sábado, 24 de maio de 2014

FIGURAS DE LIGUAGEM NA BÍBLIA


Figuras de linguagem são recursos estilísticos que os escritores costumam utilizar na criação de sua obra literária, ou que utilizamos em nosso dia a dia para enriquecer a linguagem escrita ou falada. Várias são essas figuras, e aqui as veremos distribuídas em três grupos, de acordo com o grau de ocorrência, a saber: 
Grupo 1: Figuras mais comuns ou de maior incidência na Bíblia
Grupo 2: Figuras com incidência relativa na Bíblia
Grupo 3: Figuras de pouca incidência na Bíblia 
1. Comparação:
É a união de dois elementos, por meio de um termo comparativo como, (mais...)que, (menos...)que, tal qual, etc. Destacando uma ou mais características comuns entre eles. A comparação pode também se dar com a utilização dos verbos parecer e assemelhar, ou com o adjetivo semelhante. É a mais frequente das figuras.  
2. Metáfora: 
É o emprego de uma palavra fora do sentido normal, por efeito de analogia. A metáfora é uma coMetáfora: É o emprego de uma palavra fora do sentido normal, por efeito de analogia. A metáfora é uma comparação sem o elemento de ligação (conjunção ou locução conjuntiva) entre os termos comparados. Por exemplo, se dissermos “Ela é perigosa como uma cobra”, estamos fazendo uma comparação, mas se dissermos “Ela é uma cobra”, estamos fazendo uma metáfora.
3. Prosopopeia: 
É a atribuição de características, ações ou sentimentos humanos a seres inanimados, irracionais ou abstratos.
4. Metonímia:
É a substituição de uma palavra por outra com a qual mantém algum vínculo. A metonímia tem várias faces.
5. Antítese:
É a utilização de palavras de sentidos contrários, na mesma frase ou em frases próximas. A antítese só ocorre entre palavras da mesma classe gramatical (verbo com verbo, adjetivo com adjetivo, substantivo com substantivo, etc.).
6. Eufemismo:
Ocorre quando se utilizam palavras ou expressões menos chocantes, no lugar de outras que têm sentido grosseiro, desagradável, ou que causem vergonha ou constrangimento.
7. Hipérbato:
É a inversão da ordem dos termos da frase. A eficiente compreensão do hipérbato requer alguns conhecimentos de análise sintática. É fundamental, por exemplo, saber que a ordem direta dos termos de uma frase é
Sujeito + Verbo + Complemento + Adjunto Adverbial (se houver).
8. Hipérbole: É o exagero na afirmação.

FONTE: site(gramática na bíblia)