quarta-feira, 28 de maio de 2014

A Misericórdia do Senhor




 A Bíblia nos ensina sobre muitas coisas e de diversas maneiras, no entanto, um dos ensinamentos que mais me tocam é aquele que trata do coração amoroso de Deus. Tão tardio em nos consumir com seu justo Juízo, o Pai nos demonstra um modelo de amor, sincero, zeloso e paciente; um modelo de amor que respondemos com cínica negligência de seu significado, entendemos como privilégio o tardar de Deus em nos punir, ou permitir que a punição chegue definitivamente as nossas vidas, quando na verdade seu “atraso” é um sinal de oportunidade para um arrependimento indolor.

Em sua palavra, Deus nos fala: “As misericórdias do SENHOR são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim; Novas são cada manhã; grande é a tua fidelidade. (Lamentações 3: 22,23 )”, esse versículo nos demonstra que cada dia nosso é prova da fidelidade de Deus para conosco e do seu amor. Agora a grande pergunta que faço a mim mesmo e peço a todos para fazer é: O que fazemos com essa misericórdia? Qual é nossa conduta em relação ao amor de Deus e sua poderosa compaixão? 

Precisamos temer a Deus, pois o princípio de toda sabedoria é o temor ao Senhor e a meditação em em sua palavra, pois “a sua misericórdia é de geração em geração Sobre os que o temem.(Lucas 1:50 )” aqui há uma promessa, a promessa da proteção de Deus e do seu amor por toda a nossa geração e sobre todas as nossas futuras gerações  se assim nosso coração, bem como o coração dos nossos descendentes, adorarem em espírito e verdade.


Através do conselhos do Espírito Santo e do exemplo deixado nos evangelhos pelo nosso senhor e salvador Jesus, podemos aprender como viver uma vida que valoriza as misericórdias de Deus e assim usufruirmos de suas bem aventuranças. O primeiro passo é  pararmos para refletir e começarmos a analisar o que estamos fazendo com o tempo, com a misericórdia e com as chances que Deus tem colocado em nossas vidas, posteriormente devemos reconhecer que nada que temos foge de seu controle e que por isso somos dependentes Dele; e que apenas seu poder redentor pode nos levar a uma vida de gozo e paz inabalável, através do arrependimento e da fé.